top of page

Alimentação saudável é aliada na prevenção do câncer de mama

Medo, ansiedade, preocupação. Qualquer mulher que já investigou ou teve um diagnóstico de câncer de mama possivelmente já vivenciou esse mix de sentimentos. Lidar com esse tipo de situação é muito difícil, já que além dos riscos de vida e do tratamento delicado, a doença é bastante invasiva e pode afetar a autoestima das pacientes.

Atualmente, o câncer de mama ainda representa um grande risco para a população feminina. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), esse diagnóstico é a principal causa de morte por câncer na população feminina em quase todas as regiões do Brasil — exceto no Norte, em que o câncer do colo de útero representa os maiores índices.

No entanto, embora altos, os índices de mortalidade podem ser reduzidos e até eliminados através do diagnóstico, tratamento precoce e prevenção. E neste contexto, a alimentação pode ser uma grande aliada na adoção de hábitos saudáveis que previnem alguns tipos da doença.

De acordo com o INCA, a má alimentação é o fator responsável por cerca de 20% dos casos de câncer nos países em desenvolvimento. Também representa cerca de 35% das mortes pela condição.

O papel da alimentação preventiva

Um diagnóstico de câncer de mama depende de vários fatores: genéticos, metabólicos e de estilo de vida. No entanto, embora seja difícil definir de forma concreta quais são as causas, fatores que diminuem o risco da doença podem fazer parte da rotina das mulheres como uma medida preventiva. Pesquisas divulgadas em agosto deste ano na revista científica BMJ apontam que o consumo exagerado de alimentos ultraprocessados podem aumentar as chances de um diagnóstico de câncer em até 29%.

A nutricionista funcional e oncológica, Claudia Patounas, que atua na Clínica Soma, reforça o resultado da pesquisa. Segunda ela, uma alimentação saudável, que se aproxime ao máximo possível do natural, pode ser uma grande aliada na prevenção do câncer de mama.

— A alimentação é um fator bem importante quando se pensa na prevenção do diagnóstico. Recomendo que o cardápio seja sempre rico em em crucíferas (repolho, couve, brócolis, couve flor) e pobre em gorduras saturadas. Quanto mais colorido é o seu prato, mais nutritivo ele será! — destaca a especialista.

Para as pacientes que estão em tratamento do câncer de mama, contar com uma dieta balanceada e saudável também pode contribuir com o tratamento — seja para fortalecer o organismo, contribuir para restabelecer a saúde, e repor as energias gastas durante as sessões de quimioterapia ou radioterapia.

— Nesses casos, deve-se evitar a suplementação sem orientação nutricional, já que muitas substâncias podem diminuir o efeito do remédio. Por isso, destaco a importância de fazer acompanhamento nutricional desde o início do tratamento. Assim, é possível manejar os sintomas apresentados durante as quimioterapias e fortalecer o sistema imunológico — destaca Claudia.

Já o mastologista da Clínica Soma, Dr. Marcelo Prado, também destaca a importância de uma alimentação saudável para o combate da doença. Segundo ele, o objetivo deve ser manter o prato colorido, com vegetais, legumes ricos em fibra, frutas e produtos integrais.

— Pesquisas recentes indicam a necessidade de manter o foco nos padrões alimentares nutritivos para a prevenção de tumores malignos — especialmente, relacionados ao câncer de colo de útero ou mama. O consumo de vegetais sem amido ou ricos em carotenóides pode diminuir os riscos da doença. — aponta o médico.

Marcelo alerta que, para adotar uma dieta mais saudável, é fundamental diminuir o consumo de carnes altamente processadas e bebidas com muito açúcar (refrigerantes e sucos industrializados). Ele ainda ressalta os cuidados com o consumo de álcool, que não deve passar de uma bebida por dia entre as mulheres.


Dicas para prevenir a perda de massa magra durante o tratamento de câncer:

  • Conte com uma dieta personalizada, elaborada por um profissional da nutrição;

  • Controle o peso semanalmente para acompanhar alterações;

  • Proteínas e calorias devem fazer parte da dieta;

  • Manter o corpo ativo, através de exercícios físicos leves, é essencial;

  • Faça uso de suplementos com orientação médica e nutricional;

  • Conte sempre com acompanhamento especializado.


372 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page