top of page

Urologia: conheça mais sobre esta especialidade

Dia 12 de setembro, é comemorado o dia do Urologista, especialidade da medicina que trata de problemas relacionados ao trato urinário de homens e mulheres e genital dos homens.

É o Urologista quem diagnostica as causas da disfunção eréctil (problemas vasculares, hormonais, neurológicos e/ou psicológicos). A partir dos 40 anos, o Urologista pode iniciar um acompanhamento anual da próstata em virtude dos elevados índices de câncer nesta glândula (cerca de 10% da população). Os índices de cura desta doença são elevados quando o diagnóstico é feito precocemente.

Esse dia é celebrado o dia do Urologista por ser a data de nascimento do médico urologista e político brasileiro, Juscelino Kubitschek de Oliveira, aclamado, em outubro de 2005, como patrono da urologia brasileira.

Tal homenagem deve-se ao fato de que o ex-presidente JK, após especializar-se nessa área da medicina em Paris, atuou nesse setor, tendo sido chefe do serviço de urologia do Hospital Militar da Força Pública do Estado de Minas Gerais.

A criação dessa data tem por objetivo contribuir para a conscientização do homem brasileiro quanto à necessidade de cuidar melhor da própria saúde, consultando um médico especializado em diagnosticar e tratar problemas específicos do sistema geniturinário.

Confira abaixo a entrevista com o Dr. Roberto Lodeiro, médico urologista da Clínica Soma:

  1. Urologista: para que serve? O urologista é o médico que trata dos problemas urinários do homem e da mulher, e dos problemas da área genital do homem. Da parte genital feminina, quem trata é o ginecologista. Este esclarecimento é importante, visto que muitos homens procuram um urologista para tratamento de hemorroidas, já que nossa especialidade ficou associada com o toque retal para o exame da próstata. Entretanto, é importante esclarecer que o tratamento de hemorroidas geralmente é feito com o proctologista, ao invés do urologista.

  2. Quais exames são realizados por um urologista? A urologia é uma especialidade bastante ampla, e não é raro os urologistas realizarem sub-especializações dentro da especialidade. Dos exames que podem ser feitos, podemos citar os exames endoscópicos das vias urinarias (uretroscopia, cistoscopia, ureteroscopia), realizados na uretra (canal do pênis), bexiga e ureteres (canais que levam a urina dos rins para a bexiga). Além disto, alguns urologistas realizam um exame chamado de avaliação urodinâmica, que serve para ver o funcionamento da bexiga durante um ciclo provocado de enchimento e esvaziamento vesical. É um exame que frequentemente é realizado em casos de perda de urina (incontinência urinária) ou jato de urina muito fraco.

  3. Quais doenças são tratadas por essa especialidade médica? São muitas, mas convém citar as mais comuns: Câncer de próstata, câncer de rim, bexiga, pênis, testículos (entre outros), Pedras nos rins, Aumento de próstata, Incontinência masculina e feminina, Disfunção erétil (impotência), Cistite (infecção urinária), Infertilidade masculina, Fimose, Balanite (infecção por fungo na ponta do pênis), Bexiga Hiperativa, Bexiga Baixa, doenças sexualmente transmissíveis.

  4. Qual a frequência ideal para marcar consulta com um urologista? O ideal é marcar uma primeira visita para uma avaliação individualizada e, somente após, definir com seu urologista o tempo ideal de reconsultas.

  5. Checkup anual com o urologista: o que é examinado? O ideal é fazer uma avaliação geral da saúde do homem, visto que o urologista é, muitas vezes, o único médico que um homem costuma visitar. Então, o check-up ideal deve ir além dos sintomas urinários e sexuais, incorporando a avaliação de fatores de risco do paciente para outras doenças comuns e a promoção de hábitos saudáveis, como boa alimentação, bom sono, atividade física e gerenciamento de estresse e problemas emocionais.

  6. Tenho vergonha de ir ao urologista: o que fazer? Saiba que a vergonha é um sentimento comum dos homens antes de ir no urologista. Entretanto, os urologistas lidam com estas questões masculinas o tempo todo, e dificilmente o seu caso não vai ser algo que o urologista não veja toda a semana. Não é necessário em uma primeira consulta realizar o exame do toque retal, e muitas questões mais íntimas da natureza sexual do paciente ou do casal podem ser abordadas mais futuramente, quando o paciente estiver mais confiante no seu urologista. A vergonha não pode ser um pretexto para não realizar avaliações preventivas, sob o risco dela se tornar arrependimento no futuro.

  7. Quando levar seu filho ao urologista? Segundo um levantamento inédito realizado pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), o número de atendimentos de adolescentes meninos de 12 a 18 anos ao urologista é 18 vezes menor que o de atendimentos de meninas ao ginecologista da mesma faixa etária. Portanto, a partir desta idade já se recomenda começar a levar os meninos ao urologista. A SBU realiza em setembro, pelo quinto ano consecutivo, a campanha #VemProUro, que este ano enfatiza a importância de o menino também cuidar da sua saúde genital e reprodutora e se engaja ainda na luta contra os cânceres provocados pelo HPV, convidando os responsáveis a levarem seus adolescentes para serem vacinados. Mais detalhes da campanha em https://portaldaurologia.org.br/publico/jovem/

  8. Quando ir ao urologista? Quais sinais o corpo pode dar para que a pessoa procure por essa especialidade? O ideal é o acompanhamento periódico mesmo antes de qualquer sintoma, quando se trata de medicina preventiva. Se houver qualquer alteração no jato da urina, sangramento urinário, dor, eliminação de cálculos, queixas sexuais, palpação de nódulos ou aumento na região do escroto, surgimento de lesões penianas, todos estes são sinais de alerta que a procura deve ser imediata.

  9. Quais as principais dúvidas dos homens ao consultarem o urologista? As principais são a respeito de lesões no pênis, sintomas urinários, sexuais e câncer de próstata.

  10. Quais são os mitos mais comuns sobre a urologia? – O urologista é exclusivo para homens; – Câncer de próstata só acomete idosos; – Todo homem que tem câncer de próstata ficará impotente; – Ejaculação precoce não tem cura; – O homem perde a libido e não consegue ter ereções, após a vasectomia; – Todos os homens têm andropausa a partir dos 40/45 anos.

  11. A vasectomia causa impotência ou alguma outra disfunção sexual? Mito. Após o procedimento, o homem continua a ejacular normalmente, pois a grande parte do esperma vem da próstata e das vesículas seminais. Mas esse líquido não mais vai conter espermatozóides. A vasectomia não causa disfunção erétil nem distúrbios da ejaculação, ela apenas vai impedir a saída dos espermatozóides.

  12. Quais doenças urológicas têm o índice mais alto de ocorrência no público masculino? Problemas sexuais como ejaculação precoce e impotência, infecção urinária, doenças sexualmente transmissíveis, infertilidade, cálculos urinários, câncer de próstata e testículo.

  13. O que é urofluxometria? É um exame para medir o fluxo urinário, que é frequentemente usado para dar um grau de objetividade quando se avalia a maneira como está o jato urinário.

  14. Sobre a Urologia Oncológica: o urologista atua na prevenção, diagnóstico e tratamento de que tipo de tumores? Os principais são: próstata, bexiga, rins, adrenais, pênis e vias urinárias (ureteres e uretra).

  15. O urologista também atende mulheres? Em quais situações? Realiza quais tipos de tratamento? Sim, geralmente nos casos de infecção urinária de repetição, litíase (cálculos) urinários e cânceres como rim, bexiga, adrenal. Também é muito comum o urologista trabalhar junto com outros oncologistas nos casos em que existe uma obstrução nos canais da urina (ureteres) causados por diversos tumores como o colo do útero, o intestino grosso, a mama, por exemplo, quando eles avançam para os órgãos vizinhos ou produzem metástases (sementes do tumor) que se instalam perto dos canais da urina, comprimindo-os.

355 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page