top of page

Oncohemato: conheça a especialidade!

A oncohematologia, também chamada de oncohemato, é uma subespecialidade médica que trata as doenças malignas do sangue, gânglio ou ínguas, incluindo os linfomas, leucemias, doenças mieloproliferativas, mielodisplasias e mieloma múltiplo.

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), a leucemia, que é o tipo de câncer no sangue mais conhecido, atinge cerca de 5.920 homens e 4.890 mulheres a cada triênio. Já o mieloma múltiplo acomete mais de 2.800 pessoas, sendo que grande parte delas acaba descobrindo a doença tardiamente, após um ano dos sintomas.

Por conta disso, a oncohematologia visa oferecer um tratamento específico para pessoas que têm alguma complicação no sangue, oferecendo um diagnóstico precoce que aumenta a eficácia dos procedimentos contra a doença.

No artigo de hoje, conheça mais sobre a especialidade e os trabalhos da oncohemato.

Como é o trabalho da oncohematologia?

Devido à complexidade de atuação, a oncohematologia trabalha em conjunto com outras especialidades médicas e abordagens metodológicas para realizar o diagnóstico das doenças no sangue. Sendo assim, ela pode incorporar abordagens genéticas e as bases moleculares do câncer, permitindo a orientação de um tratamento específico.

A base das alterações genéticas para diagnóstico permite que o oncohematologista possa fazer o diagnóstico, a estratificação do risco, além de oferecer um tratamento individualizado, levando em consideração o tipo de câncer e a resposta terapêutica do paciente.

Segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (ABRALE), cerca de 44% dos pacientes com mieloma múltiplo no Brasil tiveram dificuldaddes para receber o diagnóstico; 20% tiveram o diagnóstico inconclusivo e 37% passaram por vários médicos, para só então a doença ser identificada.

Isso mostra o quanto a oncohemato é fundamental para aumentar os trabalhos de diagnóstico precoce da doença e, com isso, contribuir para melhorar a qualidade de vida dos pacientes e as chances de cura.

Por esse motivo, grande parte dos estudos desenvolvidos na área de oncohematologia focam no diagnóstico precoce e na abordagem personalizada de tratamentos das diferentes doenças.

O oncohematologista trabalha com quais profissionais?

O oncohematologista realiza diversos exames, com o objetivo de identificar doenças e obter um diagnóstico preciso em pacientes com câncer hematológico. Dessa forma, dependendo da enfermidade, os tratamentos incluem transfusões de sangue até transplante de medula óssea.

Sendo assim, a oncohematologia trabalha com outras diversas especialidades médicas, incluindo a própria oncologia, a hematologia e até mesmo profissionais ainda mais específicos, como especialistas em leucemia e mieloma múltiplo.

Importante ressaltar que a oncohemato também deve orientar o tratamento psicológico dos pacientes com câncer no sangue. Afinal de contas, a pessoa com a condição vivencia inúmeros sentimentos, incluindo o medo e a angústia diante dos sintomas e limitações físicas.

Outro profissional envolvido no diagnóstico e tratamento na oncohematologia são os enfermeiros, que atuam no suporte e assistência aos médicos, para promover o melhor atendimento aos pacientes durante o diagnóstico e métodos terapêuticos.

Quais as principais doenças tratadas na oncohemato?

Como dito, a oncohematologia tem foco especial nas doenças cancerígenas do sangue. A seguir, vamos tratar das mais conhecidas.

Leucemia

A leucemia é uma doença que atinge os glóbulos brancos, de origem desconhecida. A sua principal característica é o acúmulo de células cancerígenas na medula óssea e corrompendo as células saudáveis.

Atualmente, existem mais de 12 tipos de leucemias catalogadas, incluindo a leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocítica aguda (LLA) e a leucemia linfocítica crônica (CLL).

Em geral, o tratamento é realizado com o transplante de medula óssea.

Mieloma múltiplo

O mieloma múltiplo atinge as células plasmáticas do paciente, com a produção anormal de uma proteína (anticorpo), chamada de imunoglobulina monoclonal.

Na doença, há um crescimento excessivo das células plasmáticas na medula óssea, o que pode desalojar as células normais do sangue, levando a uma carência de glóbulos vermelhos, causando anemia. O mieloma múltiplo também causa diminuição das plaquetas, resultando em hemorragias e hematomas no paciente.

Linfomas

Os linfomas são cânceres específicos que atingem os glóbulos brancos (linfócitos), que são as células responsáveis por combater infecções.

Normalmente, a doença é caracterizada em dois tipos: os linfomas de Hodgkin e os não Hodgkin. O primeiro caso é o mais comum.

Quer saber mais sobre a especialidade da oncohemato e seus principais tratamentos? Entre em contato com a Clínica Soma e conheça nossos médicos especializados!

257 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page